quinta-feira, 16 de junho de 2016

Ele ainda tem o controle

Existem poucos momentos na vida em que olhamos para o que está acontecendo e dizemos "é agora isso que farei agora mudará minha vida!", sempre percebemos isso depois de algum tempo. Existe esse momento tão único e singular que Deus nos permite perceber que as coisas serão diferentes daqui para frente.
Nunca percebemos esses momentos por algo muito simples, nós não prestamos atenção nas pequenas dádivas de Deus. Nos prazeres simples que a vida da. Quando não conseguimos enxergar o cuidado de Deus nas pequenas coisas e esquecemos que Ele não é somente soberano nas grandes coisas, mas nas pequenas coisas também vemos a sua soberania. Poder perceber os pequenos detalhes que nos levam para as maiores alegrias, para as estradas mais sublimes. Pequenas coisas que nos fizeram derramar lágrimas amargas, mas que depois nos fez cantar as mais belas canções, canções que foram feitas no cárcere. Perceber o controle de Deus nesses pequenos detalhes nos faz sermos mais entregues a Ele, pois afinal alguém que ainda cuida de cada detalhe da nossa vida não poderia perder o controle tão facilmente.
Perceber que o verde continua verde pois Deus tem o controle de tudo, e se Ele se preocupa com p simples verde de uma folha, Ele tem cuidado de nós.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

O jovem que estava de passagem.

O seu olhar olha gentilmente para a cruz. Um judeu que estava em Jerusalém nos dias de páscoa, e do nada ele percebe um homem em uma cruz, ele não estava entendendo muito bem o que estava acontecendo, ele era muito jovem, estava ali pois seu pai era muito religioso e sempre quando se aproximava a páscoa a família inteira era arrastada até lá. Nunca entendi muito bem essa tradição do meu pai! – Retrucava o jovem – sem saber o motivo de estar ali naquela cidade, mas nesse momento esse jovem olha e vê essa cruz. Não era um homem de boa aparência, parecia um típico judeu, mas ele era diferente! Pare por um instante e olhe para essa cruz de madeira! Olhe para o que tem atrás dela! Era justamente esses pensamentos que cercavam a mente do garoto. Ele olhou melhor e percebeu que era o mesmo que estavam fazendo uma festa por causa de sua passagem. “olha é ele, é ele mesmo!” Conheço aquele olhar, conheço aquelas feições é ELE! O jovem nunca tinha visto tanto amor em um olhar, o jovem se sentiu amado ao olhar para aquele homem naquela cruz e sem saber o motivo simplesmente começou a chorar. -Por que estou chorando? Não existe motivo para chorar, não conheço esse homem! Então os olhos do homem preso naquela cruz o encararam e o jovem não sabia como reagir. Em seus olhos tinha amor, um amor como ele nunca tinha visto na vida, ele sentiu a paz que nunca sentira, mas ao mesmo tempo ele olhava para a agonia que havia naquela cruz. Aquele homem parecia culpado, era um homem que entendia de dores, mas era pura amor em seus olhos. Não longe de onde estava viu Nicodemos, amigo de seu pai, então ele perguntou: - Senhor Nicodemos quem é aquele homem no centro? O que está acontecendo? Nicodemos com lagrimas nos olhos responde “criança Ele é o Rei dos judeus!” - Como assim Rei? Ele não pode ser Rei? Ele está na cruz! Ele foi preso lá! Nicodemos olha para o jovem e diz “não jovem, Ele se entrego...” Então ao olhar mais uma vez o jovem ouviu o “está consumado...” Ele sentiu um desespero como nunca sentiu na vida “como pode, nem conheço esse homem e estou triste com a morte dele? ” Pensava o jovem. Havia amor nos olhos daquele homem. Se sentir amado não é algo fácil de entender. O jovem chorou. O jovem chorou, pois, ele viu um Rei morrer em uma cruz, aquele jovem mesmo não entendendo vinho o amor de uma maneira que ele jamais conseguiu entender, seus olhos choraram, choraram muito! A vida e o amor estavam em sua frente e do nada estava consumado! Ele não conseguia entender, tudo ficou escuro, mas aquele jovem não reparou nisso, ele só conseguia chorar e murmurar algumas palavras que pareciam ser “nunca ninguém me olhou assim com tanto amor”. Ele estava arrasado e na verdade nem sabia muito bem o motivo. Esse jovem foi para casa. Ainda pensando no olhar de amor. Um olhar que parecia o do seu pai quando rogava a Deus pela vida de seus filhos. Três dias se passaram, houve um grande burburinho na cidade. Então o jovem vê o homem que estava na cruz passando. “Não é possível! ”, pensava o rapaz. “Ele está morto”! Então mais uma vez aquele olhar encara aquele jovem, mais uma vez ele chorou, mas o choro veio com um sorriso, pois o jovem finalmente entendeu, que estava consumado!

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Mudei, mudei de casa, de cidade, de lugar. Mudei e mudei muito, mudei meus gostos e desgostos. mudei de foco de olhar, mudei muito mais do que queria mudar. Mudei a casa do meu ser, uma reforma aqui, uma ajeitadas ali, uma reforma acula, me mudei de lugar. Mudei minha maneira de pensar, ideias e pensamentos. Não mudei tanto assim, ainda existe as coisas fixas que nem um furacão a tiraria de lugar, mas que eu mudei mudei. Os herois são pessoas diferente meu foco são em coisas diferentes, minhas alegrias são em coisas que parecem tão mais básicas. Sim eu mudei, mas eu sempre estarei aqui, no mesmo canto de sempre, para quem precisar.

Olhe em volta

Olhos com cara de sono um beijo na testa. Um filho pedindo colo, uma mãe depois de um dia pedindo esmola, implorando por uma ajuda, sem nenhuma força, coloca o filho no colo. Festa, alegria, mulher de branco, homem de terno um singelo "sim". Uma senhora, crianças brincando, filho dos filhos, duas vezes mãe, um sorriso pela alegria ao seu redor. Um pedinte, alguem se ajoelha, da um abraço nele, e oferece comida. Professores, pastores, pais e mães, noites sem dormir, pensando em como pode ajudar aquele que ele jurou cuidar. Sensação estranha, primeiro filho no colo, ele tem cara de joelho, varias lagrimas escorrendo. Um negro apanhando de brancos racistas, um amigo que se joga no meio para apanhar em seu lugar. Depois de tudo isso, você ainda tem a coragem de dizer que a razão principal não é o amor? Olhe em volta o assunto principal é sim sobre amor!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Retratos

Momentos anexados, simples fotos em um porta-retratos. Aquele tipo de momento único, singular na sua maneira de ser, daqueles do tipo “que seja eterno enquanto dure”. Momentos que serão marcados pelo fato de estarem congelados no tempo e espaço. O momento onde a piscada de olho não poderia captar, aquele tipo de momento em que o amor congela, a dor supera, em que se ama e chora pois um momento foi eternizado em uma simples imagem, uma imagem daquelas que valem mais do que mil palavras. A imagem do sorriso do pequeno, que cabia no seu colo, ou do que era gigante em estatura ai se foi e ficou gigante dentro de nós e naquela imagem. Existem imagens e “tempos congelados” que não foram registrados, o primeiro beijo com a pessoa amada, a primeira vez que você experimento o melhor prato da sua vida, o momento em que você coloca seu filho nos seus braços pela primeira vez, o momento do primeiro choro por causa de uma decepção de um amigo. Momentos eternizados em um lugar onde nunca conseguimos captar, ou achar a não ser dentro das nossas memorias mais profundas. Porta-retratos que são invisíveis aos olhos, mas tão nítidos na nossa memória. Momentos que foram eternizados, pontos fixos na história que estarão ali, ecoando por décadas, séculos, milênios, na imortalidade, na eternidade! Existem momentos que ecoam na parede de retratos da minha memória. Quando conheci Cristo, o ponto fixo do universo para mim. A imagem que fica eternizada, a imagem dos dias em que os montes foram pesados, onde o grande Leão rugia e ouve uma rajada de luz espalhada para todos os lados, onde se houve o ecoar de sonhos memorias, onde Ele planejou, onde na sua mente o que não era feito se fez, onde pontos fixos se tornaram uma constante roda em movimento. O momento antes do mundo, de tudo onde a imagem fixada no topo do universo era a redenção, onde aquele retrato de redenção dos pecados já estava pregado, muito antes do carpinteiro soar sangue o plano da redenção o ponto fixo, o retrato estampado foi a Cruz, a dolorosa Cruz, a amada Cruz, no qual foi a máquina para os vários retratos se tornarem pontos fixos para mim.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Saudade da minha Pátria

Saudade, talvez não seja essa palavra exata que descreva como me sinto, na verdade não sei se existe uma palavra exata que descreva como me sinto, mas essa é a que chega mais perto provavelmente. Sinto saudade de algo que ainda não vivi. Tenho saudade de paz. Tenho saudade de estar em um lugar onde não haverá mais pranto nem luto nem dor, sinto saudade de um lugar onde não existe sol, sinto saudade de ir para minha pátria. Na minha pátria não existe cor de pele diferente, não existe preconceito social, não existe opressão. No lugar onde vou as mulheres não apanharão dos seus maridos e pessoas não precisam sair com medo de não voltar para suas casas, o lar para onde vou é minha pátria! No meu lar existe o sol em forma de homem, onde veremos as formas exatas do amor. Na minha pátria houve perdão, misericórdia e graça, no meu lar crianças e leões correm no campo simplesmente para brincar. No meu lar não existem esfomeados, a mesa sempre estará farta e sempre haverá alimentos para todos do mais velho aos pequeninos, principalmente para os pequeninos. Meu lar, minha pátria está em meio a eternidade é algo novo porém existirá para sempre, lá habita um Rei e cidadãos onde o mundo atual não é digno deles. Sinto saudade da minha pátria, o lugar onde o cordeiro e o leão sentam na mesma mesa que eu.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Graça

Depois de muito tempo que não escrevo, hoje (fazendo mais tempo ainda) não irei escrever sobre Liz e sua alma, não falarei sobre terceiras pessoas, tentarei não rimar nem fazer poesias sobre versos quero falar sobre as coisas que clamam dentro do meu espirito, falar sobre muita coisa simples e complicada. A minha alma hoje só consegue pensar sobre uma palavra muito simples, mas extremamente profundo no que ela significa: Graça. A Graça no qual me refiro não é algo engraçado é algo bastante serio na verdade, mas aquele tipo de coisa seria que te faz dar um sorriso todas as manhãs. Graça é mais do que aquele momento que você percebe que a sorte sorriu para você é mais do que pretender ir a praia e está fazendo sol. Graça é mais do que nem ter estudado para aquela prova mas cai exatamente tudo que você se lembra da aula. Graça é mais do que achar o amor da sua vida na fila do pão é mais até do que achar o bilhete premiado da megasena, Graça não é algo explicado ou medido. Sou Cristão e isso implica em muitos conhecimento prévio ao meu respeito. Acredito que Deus procurou o homem e mesmo não achando nada de belo nele enviou seu filho para morrer por amor, pois culturalmente nós erramos e alguém precisava pagar por isso e esse era Jesus o Cristo. Isso implica que eu acredito que eu sou mal, minha pessoa escolheu o pior caminho e a Graça é o que me traz para o caminho certo. Afinal, o que é Graça? Graça é um pai receber o filho de braços abertos e dizer que o ama mesmo o filho só tendo feito burrada na vida. Graça é achar um tesouro com valor imenso onde só se viu entulhos de lixo. Graça é o olhar de uma mãe que mesmo o filho tendo quebrado o vaso favorito dela ela da sorvete de chocolate a ele, pois afinal é seu sorvete favorito. Graça é você falar as piores coisas contra alguém e mesmo assim receber dessa pessoa o presente que você tanto queria no seu aniversario. Não se conhece a Graça e continua a mesma pessoa, a Graça ela é irresistível ela te traz para um lugar que você não consegue ser mais a mesma pessoa, não se consegue continuar a mesma pessoa medíocre de sempre. Graça te faz ser tão grato pelo presente que não merecia receber, quando você se toca que não o merecia receber, que você tem que fazer a mesma coisa por alguém se tem que agir com Graça com alguém, pois a Graça ela nos muda de dentro para fora. Graça é algo meio ilógico de se entender acho que a eternidade não nos faz entender o que é. Com lagrimas nos olhos e um sorriso no rosto agradeço a Deus por sua graça de não me deixar ser quem eu era e me mudar de dentro para fora. Pensamentos de uma pobre ovelha que não entende muito das coisas mas que nunca mais foi a mesma depois de conhecer um pouco do que é a Graça de Deus.